6 Ferramentas para Gestão de Pequenas Empresas


Na gestão de pequenas empresas, geralmente é necessário que o empreendedor desdobre-se em inúmeras funções: divulgar o negócio; atrair mais clientes; relacionar-se com eles; cuidar das finanças; dos projetos e dos funcionários são apenas algumas delas.

A tecnologia definitivamente é uma excelente aliada para facilitar o dia a dia e a internet, sem dúvida, é onde praticamente tudo acontece. Apesar disso, nem sempre é possível ter um software para cada área de gestão.

Isso por causa da necessidade de investimentos financeiros e por exigir a presença de profissionais capacitados para utilizar os recursos tecnológicos oferecidos. Acho imprescindível ser bem sucedido no ambiente virtual.

Existem, atualmente, diversas ferramentas que podem otimizar funções e você deve tirar o maior proveito possível delas. Hoje vou mostrar algumas ferramentas simples que podem fazer uma diferença enorme nos processos e na administração de sua empresa. Confira a seguir:

Google Agenda

O serviço gratuito do Google, de agenda e calendário online, tem como principal objetivo facilitar e otimizar as atividades diárias do usuário, que facilmente pode adicionar compromissos e eventos. Com a ferramenta, é possível anexar arquivos nos eventos, receber lembretes pelo celular ou por e-mail, compartilhar com outras pessoas a própria programação e acessar agendas agregadas. Além de todas as suas funcionalidades, vale ressaltar que o Google Agenda é um sistema bastante confiável e seguro, que dispõe de recursos de proteção às informações adicionadas.

Google Analytics

Não basta ter um site no ar, é essencial monitorar seus resultados para que possam ser feitos ajustes sempre que necessário, para que ele seja eficaz em seus objetivos. Esta ferramenta é um serviço gratuito, oferecido pelo Google para monitorar os resultados de um site. Através de um código, colocado na página a ser monitorada, dados como taxa de exibição, localização geográfica dos visitantes e perfil dos usuários são enviados ao proprietário.

Conhecer essas estatísticas é extremamente importante para saber quem é seu público e para adequar sua página conforme as necessidades desses consumidores. Além de permitir a avaliação de vendas e conversões, a ferramenta aponta como os usuários chegam ao site (se diretamente pelo endereço, se por buscador, por links de outros sites ou AdSense) e como eles utilizam a página.

Google Maps

Uma ferramenta já bastante conhecida. O serviço de mapas do Google pode ser utilizado por uma empresa, mesmo sem possuir um website, para mostrar informações como horário de funcionamento, endereço e contato. Ao cadastrar o endereço de sua empresa no Google, o mapa aponta o melhor caminho até ela. A vantagem desse cadastro é que não servirá apenas para facilitar rotas dos clientes para a empresa, mas serve também para que a mesma seja sugerida quando alguém fizer buscas na região. Há ainda o Google Maps for Work, que possibilita incorporar mapas em aplicativos e sites.

HootSuite

Atualmente, as redes sociais têm sido a principal opção de interação entre empresas e clientes, porém, não é simples manter vários perfis ativos. Para facilitar, existem ferramentas que auxiliam no processo de postagens e permitem uma análise da interação do público. Essencial para melhorar o desempenho online de uma marca. O HootSuite é um sistema bastante conhecido na gestão de marcas na mídia social. Utilizado para otimizar o tempo do usuário, que poderá gerenciar mais facilmente seus perfis em diferentes redes sociais e melhorar a performance de suas publicações.

Mailchimp

Na hora de desenvolver um relacionamento com os clientes, o e-mail continua sendo uma forma bastante eficaz. O e-mail marketing é uma poderosa ferramenta de marketing direto. Diferente do spam, especialmente por funcionar com o consentimento do cliente e oferecer a opção de que qualquer um se descadastre quando desejar. Uma das ferramentas mais conhecidas por sua eficácia, em se tratando de e-mail marketing, é o Mailchimp, que permite que o usuário crie e envie campanhas de forma simples e rápida. É uma plataforma onde a empresa recebe inscrições de possíveis clientes, pode enviar e-mails em grande volume e até mesmo promover vendas. A ferramenta permite gerenciamento de todos os contatos cadastrados e disparo de e-mails para a lista de forma automatizada.

Planilhas Financeiras

A tarefa de controlar as finanças da empresa é uma das mais complicadas, principalmente para quem não tem experiência na área. Além disso, a saúde financeira de uma empresa dita o funcionamento de todas as áreas. Sendo assim, não é possível tomar nenhuma decisão, sem saber se os recursos permitem. É fundamental que toda a movimentação financeira seja registrada. As planilhas sempre foram utilizadas; das mais simples às mais elaboradas. Existem alguns recursos que auxiliam na hora de lidar com o fluxo de caixa e vou citar aqui três opções de planilhas, oferecidas pelo Movimento Empreenda, iniciativa do Sebrae para dar suporte a empreendedores brasileiros:

Fluxo de caixa básico: indicada para quem não tem experiência na área contábil. A ferramenta tem como principal objetivo, facilitar o gerenciamento dos valores que entram e saem da empresa. Auxiliam na estimativa da evolução de entrada e saída. Facilitam assim, a análise do ponto de equilíbrio da empresa.
Planilha de projeção de resultados: desenvolvida para auxiliar o empreendedor individual. A ferramenta serve para que haja total controle das contas da empresa e o fluxo de caixa.
Orçamento base zero: indicada para empresas que tenham pelo menos um ano de operação. A ferramenta permite que o empreendedor visualize quais são os principais gastos da empresa; estabeleça metas de corte; elimine supérfluos e priorize os custos fundamentais.

É ótimo poder contar com tantas ferramentas que facilitam processos que seriam muito mais complicados e demorados, se não fosse a tecnologia a nosso favor, não é mesmo? Além de desfrutar dos recursos oferecidos por elas na gestão de pequenas empresas, como praticidade e organização; você, otimiza seu tempo e ganha informações que seriam difíceis de mensurar.

Comente e compartilhe este artigo!

⬛◼◾▪ Social Media ▪◾◼⬛
• FACEBOOK • TWITTER • INSTAGRAM  • TUMBLR   GOOGLE+   LINKEDIN   PINTEREST

⬛◼◾▪ Blogs ▪◾◼⬛
• SFE®  • SFE Tech®  • SFE Terms®  • SFE Books®  • SFE Biography®
⬛◼◾▪ CONTATO ▪

Qual a diferença entre ERP e CRM?




ERP

O Enterprise Resource Planning é o software de gestão mais básico de uma empresa. Ele é usado para garantir o controle financeiro, fiscal e contábil da organização.

O ERP integra informações sobre pagamento de despesas e recebimento de receitas, levando em conta o custo de tributo de cada uma das operações. Esse tipo de software é literalmente a base para a gestão de uma companhia.

CRM
O CRM - Costumer Relationship Management ou Gestão do Relacionamento com o Cliente - é um sistema usado por empresas para cuidar de sua base de consumidores.

O CRM é vendido como software (no modelo de licença ou no modelo de software como um service/cloud computing). O principal objetivo desse sistema é assegurar e proteger as informações comerciais da empresa, ao mesmo tempo em que ajuda a identificar os melhores planos de ação e alternativas para aumentar as vendas, gerenciar metas e avaliar os vendedores.

Então, o ERP é o controle financeiro e gestão da empresa de uma forma completa, enquanto o CRM é o controle dos clientes e, por consequência, das vendas.

Quais são os benefícios que cada um deles pode trazer para a empresa no dia a dia?

O ERP ajuda a:

• Reduzir os custos com TI, mão de obra, desperdícios, erros e retrabalhos;• Reduzir os prazos de entrega, pois aumenta a produtividade;• Facilitar a gestão do estoque e a compra e venda de mercadorias (você que é empresário sabe a importância disso);• Melhorar a gestão tributária, evitando multas e diminuindo a dependência de contadores.

O CRM ajuda a:

• Reduzir gastos com papel;• Reduzir o tempo gasto para procurar informações e documentos;• Facilitar o treinamento da equipe através do software;• Aumentar as vendas, pois permite passar mais tempo vendendo e menos tempo organizando informações.

Talvez já tenha decidido qual dois dois sistemas deve ser implantado imediatamente na sua empresa. O próximo passo é saber como fazer essa implantação. E fique tranquilo: isso vale para todos os tamanhos de organizações.


Implantação do sistema

Essa etapa provoca dor de cabeça em alguns gestores, pois envolve mudanças organizacionais, altera algumas tarefas e responsabilidades de equipes.

O fator humano é fundamental: chame seus colaboradores para participar da implantação. Peça sugestões de contribuição, até porque eles sabem o que pode ser melhorado. Ninguém deve ficar de fora!

Outro ponto importante é a escolha do fornecedor e do software. Opte por uma empresa experiente que esteja à disposição para trabalhar em parceria, dando suporte e adaptando tudo para as suas necessidades. Junto com esse parceiro deverá decidir como a implantação será feita. Vocês terão que escolher se todos os módulos vão entrar em funcionamento juntos – em todos os departamentos da empresa – ou se a implementação será em etapas, pouco a pouco.

Qual é a hora certa para implementar um ERP?

Basicamente, qualquer empresa que esteja sentindo dificuldades na organização de arquivos e fluxo das informações pode estar precisando de um ERP.

O lado bom é um ERP ajuda a deixar tudo infinitamente mais fácil de controlar. Imagine descobrir só daqui a alguns meses que você estava operando no prejuízo e nem sabia. Isso pode acontecer se o seu fluxo de caixa não estiver rigorosamente organizado.

Nada substitui uma gestão da informação integrada e estruturada, independente do tamanho da empresa. Gerenciar uma empresa sem o uso de um ERP é mais ou menos como praticar um esporte com os olhos vendados.

E quando devo implementar um CRM?

O CRM é importante principalmente para quem trabalha com vendas, seja de produtos ou serviços. Se você depende de fechar novos contratos todos os meses, ir atrás de clientes, apresentar propostas e fazer acompanhamento, pode ter certeza que o CRM é para você.

Um CRM pode ser muito útil no pós-venda, porque ele te ajuda a estar sempre em contato com o cliente, dando atenção e prestando suporte nos momentos certos. Assim a satisfação aumenta, facilitando a recomendação para outras pessoas que também podem se tornar clientes.

Eu diria que o ERP é mais urgente, mas o CRM pode fazer uma diferença absurda no seu processo de vendas. Então se você está sentindo que poderia usar melhor os recursos que já tem, não custa nada estudar essa possibilidade.



No fim das contas, quanto antes sua empresa puder contar com esse apoio da tecnologia, melhor. O trabalho do dia a dia é puxado para todos, e ter ferramentas que otimizam os recursos investidos é muito recompensador para toda a equipe. Mais do que nunca, esse é o momento em que o mercado está dando espaço para quem trabalha de forma inteligente.

Comente e compartilhe este artigo!

⬛◼◾▪ Social Media ▪◾◼⬛
• FACEBOOK • TWITTER • INSTAGRAM  • TUMBLR   GOOGLE+   LINKEDIN   PINTEREST

⬛◼◾▪ Blogs ▪◾◼⬛
• SFE®  • SFE Tech®  • SFE Terms®  • SFE Books®  • SFE Biography®
⬛◼◾▪ CONTATO ▪

Os benefícios do ERP em suas Vendas - no Pet Shop


O que é ERP

A sigla vem do inglês Enterprise Resource Planning. Significa Planejamento de Recursos da Empresa. É um software de gestão corporativa, ou seja, uma solução tecnológica que vai facilitar muito o seu dia a dia no Pet Shop e eliminar muitas fontes de estresse.

Veja abaixo algumas das vantagens do ERP que eu mais aprecio.

1. Eficiência no atendimento

Ao escolher uma boa ferramenta tecnológica de gestão, garante que todos os dados dos animais cadastrados estejam ao alcance de um clique. E como já deve saber, contar com informações seguras é fundamental para traçar estratégias de marketing e vendas.

Com o uso de um ERP para vendas, poderá:

  • otimizar e integrar processos internos, poupando tempo para dedicar ao atendimento;
  • divulgar serviços e produtos;
  • enviar mensagens com ofertas para os aniversariantes ou em outras datas especiais;
  • mandar convites para incentivar a volta dos clientes que não aparecem há algum tempo;
  • lembrar seu cliente das datas de consultas, vacinas e exames laboratoriais dos animais;
  • organizar a agenda com eficiência, para evitar duplicidade de marcação de atendimentos e situações de estresse;
  • ter acesso imediato ao histórico do animal, a fim de sugerir os melhores tratamentos e produtos;
  • atender com mais rapidez para garantir a satisfação do cliente;
  • fazer a divulgação de novos produtos e serviços do pet shop.


2. Gestão eficaz de estoque

Como o amigo que citei lá em cima aprendeu da pior maneira, confiar em processos manuais de controle de estoque é arriscar a levar prejuízo.

Este é mais um benefício do uso de um ERP para suas vendas: você sabe a quantidade exata dos produtos disponíveis no depósito, o que é preciso comprar com antecedência, quais itens têm a melhor saída, quais estão encalhados etc.

Mantendo o estoque sob controle, você não corre o risco de perder vendas pela falta de algum produto e garante a satisfação do cliente. E cliente satisfeito volta e compra mais!

3. Acesso a distância

Você não precisa estar no computador da loja para ter acesso ao sistema, pois o ERP funciona na nuvem. Assim, é possível acessar de qualquer computador ou dispositivo móvel, como celulares ou tablets, desde que haja uma conexão com a internet. Você poderá gerenciar suas vendas de onde estiver.

O acesso a distância também permite ao cliente acompanhar o atendimento ao bichinho de estimação que deixou no pet shop, que horário ele estará liberado, qual será o valor das despesas etc. Ao oferecer mais comodidade ao seu cliente, você garante a satisfação e a tranquilidade dele, e abre espaço para mais vendas.

4. Segurança de dados na nuvem

A tecnologia permite que o ERP funcione “na nuvem”, isto é, diretamente no site do servidor. Isso significa que você não precisa instalar nenhum programa nos computadores da loja e nem comprar licenças caras. Basta contratar e pagar pela ferramenta tecnológica como uma assinatura mensal.

Assim, seus dados estarão sempre seguros, mesmo em casos de imprevistos como falta de energia elétrica ou vírus no seu computador, que podem colocar seus arquivos em risco. Com os dados guardados na nuvem, você fica tranquilo para manter o foco no atendimento e nas vendas.

Viu como a escolha de um ERP para vendas pode contribuir para o sucesso de seu pet shop?

Deixe seus comentários, compartilhe este artigo!
⬛◼◾▪ Social Media ▪◾◼⬛
• FACEBOOK • TWITTER • INSTAGRAM  • TUMBLR   GOOGLE+   LINKEDIN   PINTEREST
⬛◼◾▪ Blogs ▪◾◼⬛
• SFE®  • SFE Tech®  • SFE Terms®  • SFE Books®  • SFE Biography®
⬛◼◾▪ CONTATO ▪

Tecnologia e as Equipes de Alta Performance



1. Eficiente Coordenação de Esforços

Há um senso comumente assimilado pela administração, que não é uma total mentira, mas também não é uma total verdade: Em pequenas empresas paira a crença de que o bom gestor seja capaz de observar seu inteiro modelo de negócio, bem como a performance deste, disparando assertivas e adequações, quando necessárias.

Imagine liderar equipes, gastando entre 5 e 10 minutos em cada diretriz e orientação. Ao final do dia, terá gasto muitas horas.

Imagine poder utilizar um aplicativo simples de agenda, nada muito sofisticado. Perceberá que começará a poupar em média entre 1 e 2 horas por dia. Ao migrar para um sistema de gestão mais robusto, conseguirá gerenciar toda a equipe simultaneamente.


2. Menos Tarefas Repetitivas

Uma tarefa mecânica repetitiva é entediante. A repetição é chata. Mesmo que uma pessoa apresente alta performance, logo ficará entediada e sua produtividade cairá de nível.

Máquinas não se importam com repetição. Podem fazê-las indefinidamente, trocando números em planilhas, fazendo contas, disparando-as por e-mails automáticos.

A vantagem? Mais espaço para o que o cérebro, de fato, precisa: criatividade, pensamento estratégico e desafios. Assim como nosso computador é muito bom em processar rapidamente, nosso cérebro é excelente em criar novas informações, indo além dos padrões estabelecidos.


3. Menor Rotatividade, Maior Adaptação

Consegue refletir sobre quantos anos levou para automatizar coisas simples, com alta performance, como digitar e amarrar os cadarços dos seus sapatos? Agora pense: Novos colaboradores sempre demandam algum tempo para aprenderem novos processos e ações.

O princípio é o mesmo: Quanto menos coisas for necessário aprender, menos tempo levará para ser integrado ao trabalho com o grupo.

E não nos esqueçamos dos vários funcionários que saem por não se adaptarem a certos processos, a cultura, ou mesmo as ferramentas utilizadas. Essa rotatividade gera maiores custos para a empresa, que precisa selecionar currículos, anunciar vagas, fazer ligações, realizar treinamentos e a integração do novato a equipe. Ou seja, a rotatividade é ruim, mas a tecnologia reduz a rotatividade.

Deixe seus comentários, compartilhe este artigo!
⬛◼◾▪ Social Media ▪◾◼⬛
• FACEBOOK • TWITTER • INSTAGRAM  • TUMBLR   GOOGLE+   LINKEDIN   PINTEREST
⬛◼◾▪ Blogs ▪◾◼⬛
• SFE®  • SFE Tech®  • SFE Terms®  • SFE Books®  • SFE Biography®
⬛◼◾▪ CONTATO ▪

Data Science - Sistemas de Informação


Reconheceria um verdadeiro Cientista de Dados se encontrasse um? Se desejasse adicionar alguma ciência de dados ou análises a empresa, onde iria, a um headhunter ou a um recrutador? Provavelmente imagina que estes estejam qualificados para encontrar o melhor cientista de dados disponível. Mas a verdade é que a maioria deles ainda estão tentando descobrir o que a Ciência de Dados é!


Se realmente quiser contratar o melhor, recomendo que não restrinja sua pesquisa as primeiras posições de uma busca. Retornarão várias palavras chave como: Ciência de Dados e Big Data, elas estão adicionadas a todos os currículo de analistas, mas isso não necessariamente os tornam qualificado. Pare de procurar pelo óbvio e procure por palavras reais que cientista reais usariam: probabilidade, modelos, aprendizagem de máquina, estatísticas, engenharia de dados, reconhecimento de padrões, aprendizagem, visualização, armazenamento de dados (probability, models, machine learning, statistics, data engineering, pattern recognition, learning, visualization, data warehousing), são alguns exemplos.

Em conclusão a este breve artigo, gostaria de destacar apenas um ponto ...... Se realmente quiser contratar um especialista em Data Science, não vá atrás daquele com o maior blog ou aquele que escreve a maioria dos livros, honestamente um grande perfil não tem tempo ou vontade para escrever blogs e livros, preferem estar fazendo o que amamos; jogando com dados.


Nível Estratégico
ESS (Sistemas de Suporte Executivo)

Nível Administrativo | Gerencial
MIS (Sistemas de Informações Gerenciais)
DSS (Sistemas de Suporte a Decisão)

Nível de Conhecimento
KWS (Sistemas de Trabalho do Conhecimento)
OAS (Sistemas de Automação de Escritório)

Nível Operacional
TPS (Sistemas de Processamento de Transações)


#BigData #Data #DataScience #DataScientist #HackerMindset #MachineLearning #Startups #Tech #DeepLearning 


Deixe seus comentários, compartilhe este artigo!
⬛◼◾▪ Social Media ▪◾◼⬛
• FACEBOOK • TWITTER • INSTAGRAM  • TUMBLR   GOOGLE+   LINKEDIN   PINTEREST
⬛◼◾▪ Blogs ▪◾◼⬛
• SFE®  • SFE Tech®  • SFE Terms®  • SFE Books®  • SFE Biography®
⬛◼◾▪ CONTATO ▪

O que Nossas Pesquisas no Google revelam sobre Quem Realmente Somos


Quando muitos têm perguntas sobre coisas embaraçosas ou profundamente pessoais, não as fazem para os pais ou para um amigo, invariavelmente voltam-se para seu navegador: E então, perguntam ao Google!



Milhões de pessoas procuram respostas, através do buscador do Google, para elucidar suas perguntas, ou para saber mais sobre alguma coisa que deseja comprar, ou precisa conhecer mais a respeito de um lugar onde deseja encontrar os amigos. As pesquisas produzem um mapa das esperanças coletivas, medos e desejos.

Seth Stephens-Davidowitz, um ex-cientista de dados do Google, analisa a informação que deixamos para trás nos motores de busca, nas mídias sociais, além de outros lugares. Ele é o autor do livro Everybody Lies: Big Data, New Data, and What the Internet Can Tell Us About Who We Really Are (Todos Mentem: Big Data, novos dados, e o que a Internet pode nos dizer sobre quem realmente somos).

Não é muito reconfortante saber que dentro dessa caixa branca, onde bem poucas pessoas sabem mexer, ficam armazenados os aspectos mais reveladores de nossas personalidades e a de milhões de pessoas. Nessa caixa ficam: Seus interesses, seus problemas de saúde, e suas inseguranças. A através do uso de tais dados anônimospodem aprender muito mais sobre nós do que somos capazes numa vida.

Através da Mineração de dados a partir da Internet, Stephens-Davidowitz encontrou correlações surpreendentes que contam uma história muito diferente daquelas apresentadas pelas pesquisas. Os dados on-line permitem-lhe, por exemplo, estimar o percentual de homens americanos com preferências específicas; prever as taxas semanais de desemprego antes do governo federal divulgar as estatísticas oficiais; e descobrir os preconceitos inconscientes dos pais contra meninas.

Não são apenas pesquisadores como Stephens-Davidowitz que descobriram essa capacidade do Big Data para revelar a verdade. Milhares de empresas já utilizam tais informações para prever o nosso comportamento - desde se vamos pagar um empréstimo e até mesmo qual filme veremos no final de semana.

Estas novas formas de dados são tão valiosas que Stephens-Davidowitz argumenta sobre o motivo deles nos entenderem melhor do que entendemos a nós mesmos.

Leia também




#Google #Search #Searches #Browser #Book #Insights #Internet #BigData #DataMining

Deixe seus comentários, compartilhe este artigo!
⬛◼◾▪ Social Media ▪◾◼⬛
• FACEBOOK • TWITTER • INSTAGRAM  • TUMBLR   GOOGLE+   LINKEDIN   PINTEREST
⬛◼◾▪ Blogs ▪◾◼⬛
• SFE®  • SFE Tech®  • SFE Terms®  • SFE Books®  • SFE Biography®
⬛◼◾▪ CONTATO ▪

Geração Z - Infográficos


O termo millennial está muito restrito a uma faixa etária. Já Fluid Consumer se associa a um conjunto de novos comportamentos e expectativas.




Geração Z - comumente abreviado para Gen Z, também conhecida como iGenerationPlurais ou Centennials.



Geração Z é a definição sociológica para definir geração de pessoas nascidas da metade da década de 90 até o ano de 2010.


Deixe seus comentários, compartilhe este artigo!
⬛◼◾▪ Social Media ▪◾◼⬛
• FACEBOOK • TWITTER • INSTAGRAM  • TUMBLR   GOOGLE+   LINKEDIN   PINTEREST
⬛◼◾▪ Blogs ▪◾◼⬛
• SFE®  • SFE Tech®  • SFE Terms®  • SFE Books®  • SFE Biography®
⬛◼◾▪ CONTATO ▪

Vitrine

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...